quinta-feira, 8 de maio de 2008

Vamos tirar as dúvidas do senhor Francisco Marques




Pela segunda vez, recebi um desinteressante e-mail do senhor Francisco Marques que continua teimosamente a insistir na sua dúvida acerca da nossa - minha e do Miguel - velha militância monárquica. Para corroborar a sua fantasia, esclarece ..."que jamais vi os dois irmãos CB em qualquer actividade  de caris (sic) monárquico... nem sequer nos jantares de conjurados, apresentações de cumprimentos"...
Não viu nem verá. Nunca fomos educados para ocasiões mundanas e beberetes, festas de oportunidade ou ágapes: reservamos-las para a família e os amigos.  Quanto ao facto de "...não constam os vossos nomes em qualquer Real Associação ou organização, o que diz tudo quanto a essa vossa pretenção (sic)"...  Irra, este rapaz é teimoso! Pela forma como escreve, creio tratar-se de um estudante do nosso actual e brilhante ensino polivalente. Não vou pretensiosamente discorrer acerca do nosso passado na JM ou na NM. Desta forma, apenas publico um desenho executado pela nossa mãe em finais dos anos 60, onde eu e o Miguel surgimos em actividades muito "pouco republicanas". Percebe a mensagem? Dois garotos que nasceram e viviam em África, são educados pelos pais de molde a conhecerem bem a sua Pátria. Consegue o senhor Marques compreender o que está implícito? Os nossos pais não brincavam quanto à nossa preparação. A segunda foto - eu próprio -, foi tirada na banca do PPM no Rossio, em Julho de 1981. Era o senhor Francisco Marques um recém-nascido? Era um nascituro? Ou não passava ainda de um mero concepturo?
Dúvidas esclarecidas? Não voltarei ao assunto. Não tem qualquer interesse.

13 comentários:

Luís Bonifácio disse...

Este Francisco Marques deve ser um admirador daquele tipo que alega ser fadista.

Reduzir o movimento Monárquico aos jantares dos Conjurados e à participação nas Reais Associações, das quais eu desconheço qualquer actividade digna de nota é apenas querer viver num mundo faz-de-conta de pseudo condes, pseudo barões, que se comportam como os escudeiros nas peças de Gil Vicente.

Samuel de Paiva Pires disse...

É por causa deste tipo de gente que eu acho extremamente difícil voltarmos a ter Monarquia em Portugal.

Estes pseudo-elitistas acham que ser monárquico é promover eventos só para certa "gente" e ter uma determinada aparência em termos sociais (fados, touradas e afins). Só fazem mal à causa. E nós que não somos assim é que ouvimos e temos que nos resignar quando muitos nos dizem o que é normalmente um monárquico em Portugal...

Não entendem que já não vivemos em 1900. A sociedade portuguesa evoluiu, tal como todo o mundo. Mesmo as sociedades e países onde actualmente existem monarquias, não se pautam por este tipo de "militância monárquica" (esta é boa, não sabia que agora para ser monárquico tinha que fazer parte de alguma Real Associação ou participar nesses beberetes), posto que são instrumentos desadequadíssimos à espuma dos dias do presente (prestem atenção quando Gonçalo Ribeiro Telles se demarca do PPM ou defende a abolição dos títulos nobiliárquicos).

Nuno é mandar essa gente à fava, para não dizer outra coisa...

Noto positivamente o ficarmos a conhecer a tela com o Nuno e o Miguel. Lindíssima, o talento de família é notável!

cristina ribeiro disse...

Claro que faço minhas as palavras do Luís Bonifácio e do Samuel!
Enxerguem-se, senhores monárquicos(?) "de reposteiro".

E quanto ao talento familiar, já vem de longe...

Nuno Castelo-Branco disse...

Obrigado, ehehehe,. Samuel, não é uma tela, mas um simples desenho a tinta da China, num cartãozinho. A nossa mãe entretinha-nos assim e temos muitos desenhos deste estilo, vestidos à Nun'Álvares, etc. Outros tempos. No entanto, duvido muito que se hoje tivessemos aquela idade, ela jamais nos desenharia de homens aranha, Cristianos Ronaldos (desculpa lá, tb gostamos dele), ou outros que tais.

Pedro Fontela disse...

Bem eu não tenho nada com o assunto e sou republicano mas... quem é o tal senhor para pedir contas da vida alheia? Muito simpáticos são vocês em responder.

Nuno Castelo-Branco disse...

Olá Pedro Fontela, obrigado pela sua amabilidade. Somos tão ou mais republicanos que os "republicanos" da situação. A Res Publica é outra coisa... como a sueca.

João Amorim disse...

caro Nuno

Belíssimo e prosaico desenho da sua mãe.
Quanto aos comentários, convém não esquecer que a monarquia só poderá resurgir se for um sentimento popular.
Por muito desadequado que seja o comportamento dos pseudo-monárquicos por conveniência não se pode cair no erro de desmontar a individualidade de cada um senão pode-se cair no erro grosseiro da massificação; ideal bem conhecido....

Nuno Castelo-Branco disse...

Claro que tem razão, João Amorim. Todos são poucos... mesmo aqueles que se pelam por segurar várias de pálios, arreios de cavalgaduras etc, eheheheh. Só pode volta, se o POVO assim o quiser. E olhe que "eles" andam a fazer tudo para que um dia destes acordem com uma surpresa. Já faltou mais...

João Amorim disse...

caro Nuno

Como costumo dizer, quanto pior, melhor. Isto ainda não bateu no fundo. Quando começar a bater, "eles" vão estrebuchar, pois de uma vaca doente e murcha não sai leite para tanto mamão. pena é pelos "inocentes" que vão também apanhar por tabela!!!
Peço desculpa por esta linguagem tão brejeira mas face ao cenário presente poucas são as palavras que se adequem ao figurino.

Nuno Castelo-Branco disse...

Brejeira?! Havia de me ouvir em privado...

PEDRO QUARTIN GRAÇA disse...

Para que dúvidas não existam, tenho o gosto de confirmar, por testeminho pessoal, a velha militância monárquica de Nuno Castelo-Branco.E, já agora, do seu irmão Miguel.

E sou, creio, insuspeito para o dizer já que nem sempre concordei, à época, com a sua "estratégia política".

Atentamente,

Pedro Quartin Graça

Nuno Castelo-Branco disse...

Para o Pedro

Creio que poderei falar em nome do Miguel e agradecer-lhe a atenção. Evidentemente, na altura o mundo era outro e nós, no início da casa dos vintes, nem sempre julgámos acertadamente a situação. Deixamos as pétreas teimosias para os senhores Louçã e Jerónimo de Sousa!

Anônimo disse...

Este rapaz ainda é bonito? :))