quinta-feira, 29 de maio de 2008

Linhares da Beira

Tínhamos vários dias pela frente, e iríamos aproveitar para visitar as várias Aldeias Históricas do distrito da Guarda.
Linhares, no concelho de Celorico da Beira seria a primeira paragem.
Lera já que a sua fundação, atribuída aos Túrdulos, remontava, muito provavelmente, ao século VI A. C., mas que fora durante a Reconquista que sobressaíra, dada uma situação geográfica privilegiada, propícia à defesa de toda aquela região, e já no século XII o Castelo de Linhares é referido como uma significativa barreira face às forças de Leão, razão pela qual D. Afonso Henriques lhe veio a conceder foral.
Seria, porém, durante o reinado de D. Manuel I que Linhares viria a conhecer os seus tempos áureos, e disso são testemunho, além do Pelourinho encimado pela esfera armilar, as muitas casas onde são visíveis sinais da arquitectura que marcou esse período, como as muitas janelas manuelinas que pudemos admirar. Alguns desses solares encontravam-se em ruínas, como o belíssimo Palácio dos Corte-Real.
Uma construção que logo se impõe é o Castelo, no alto de um maciço granítico, esse sim, bem preservado.

Era, porém, gritante o pouquíssimo movimento que encontrámos nas ruas medievais, ladeadas de graciosas casa de granito, e calcetadas com a mesma pedra. Apenas alguns idosos, ávidos de companhia, a quem relatar as muitas histórias que envolvem Linhares da Beira, o que fizeram com notório orgulho.

10 comentários:

Anônimo disse...

.....por essa descrição...um lugar a não perder !!!!


JA

Cristina Ribeiro disse...

Mesmo, JA.
E toda a região...

Nuno Castelo-Branco disse...

Mas... este sítio não tem qualquer coisa a ver com o senhor da "vichysoise"?
Isto parece ser giro.

cristina ribeiro disse...

Não, Nuno; trata-se de outra Celorico- de Basto."É" muito giro!...

Joana Pereira disse...

Não resisto a comentar este post, já que sou uma apaixonada por Linhares da Beira! É, de facto, uma aldeia lindíssima no seu todo, de onde destaco as imponentes janelas manuelinas (que referiu) e o solar Brandão de Melo. Felizmente tem havido obras de restauro consideráveis, tendo sido este solar alvo de intervenção, pois estava à beira da ruína.

Para quem aprecia parapente, aconselho uma visita durante os campeonatos deste desporto. A fusão entre uma aldeia medieval em tons graníticos com o arco-íris dos parapentes confere um encanto extra a Linhares!

Cristina Ribeiro disse...

Linhares merece essa paixão, Joana!

Joana Pereira disse...

Engraçado que já há tempo não falava sobre Linhares... Hoje, que comentei o seu post, acabo de ouvir na Antena 1 que há um imbróglio com a Pousada de Linhares da Beira, pois está há uma eternidade para abrir portas!

A Pousada resultou da recuperação dos solares Brandão de Melo e Corte-Real e é um edifício amarelo, que deve ter visto, com certeza.

Já agora, eu que sou uma beirã de alma e coração, sugiro uma visita ao Piódão. Não sei se já conhece... Tirando a parte do estacionamento e da floresta ardida há dois anos, é um sítio estupendo!

Cristina Ribeiro disse...

Se é, Joana! Estive lá antes desse incêndio que refere, mas vou vasculhar nas minhas fotografias para falar nessa aldeia presépio.

Júlia Moura Lopes disse...

conheço bem aquela zona também :-)

Cristina Ribeiro disse...

Toda ela é linda, Júlia...