terça-feira, 27 de maio de 2008

«Povo que lavas no rio» (2)

" Não dávamos ponto sem nó; vocês agora não sabem divertir-se", diz a minha mãe quando recorda o tempo em que, com as amigas, ia lavar roupa ao rio.
Era a ocasião sempre esperada, pois que era então que, já depois da roupa lavada, e estendida na erva para corar ao sol, os rapazes vinham ter com elas e aí namoravam até começar a escurecer...

2 comentários:

mike disse...

Até começar a escurecer, Cristina. Nada de confusões e modernices. :)

Cristina Ribeiro disse...

Exactamente, Mike. Não tinham o mesmo horário de chegada que a Cinderela :)