quinta-feira, 10 de abril de 2008

Pedaços do Minho

"Ainda que o lume se apague
Na cinza fica o calor,
Ainda que o amor se ausente
No coração fica a dor.

Adoro-te tanto, tanto
Como o sol adora a terra,
Mas tu tens outros amores,
Não te quero causar guerra.

Quem do meu peito sahiu
Grande delicto causou,
Não venhas com piedade,
Quem sahiu já mais entrou.

Quando os campos verdes choram
As aves de mim têm dor
Só por ver a falsidade
Com que me tratas, amor."




(in «O Minho Pittoresco» )

11 comentários:

Tiago Laranjeiro disse...

Cara Cristina,

Ora aí está um livro interessantíssimo, que lamento não ter.


Uma questão, não se dará o caso de ser filha do sr. José Ribeiro?

cristina ribeiro disse...

Sou sim, Tiago :)
Aliás são dele estes dois fabulosos volumes...

Tiago Laranjeiro disse...

Curioso, muito curioso...

Ao seu pai e ao meu avô, para além do comum amor aos livros (e, certamente, à terra onde viviam), unia-os também alguma amizade.

O Réprobo disse...

E aqui "já mais" não teria o valor do da língua comprida do Ministro Lino...
A Cristina chegou a ler um comentário,lá no braseiro, em que me suspeito de conhecer-Lhe o Pai?
Beijo

cristina ribeiro disse...

Nunca, jamais, em tempo algum, da linesca pessoa sairiam palavras assim tão sentidas...

É muito provável, Paulo pois que ele frequenta a Galileu, que penso ser em Cascais.
Beijo

Nuno Castelo-Branco disse...

A Cristina está a aguçar o meu apetite para uma visita ao Minho. deixe o tempo melhorar, vai ver.

cristina ribeiro disse...

Venha, venha, Nuno, enquanto ainda temos estes pedaços...

Mike disse...

Humm... filha de peixe sabe nadar (risos)... e um dia debruçar-me-ei, que é como quem diz escreverei, sobre o facto de achar que o Minho é uma senhora e Trás-os-Montes, de onde tenho uma costela, é um homem. :)

Luísa disse...

Muito interessante, Cristina, a sua sequência de imagens dos «verdes» minhotos. Estou, como diz o Nuno, com o apetite desperto para umas explorações mais profundas. Em Outubro passado circulei uns dias entre o Gerês e Braga e adorei.
P.S.: Também gostaria de ver desenvolvida a tese do Mike. A perspectiva de que Trás-os-Montes - de que também tenho uma costela fortíssima - é um homem deixa-me um pouco apreensiva. :-D

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
não seria daí, mas da Livraria Campos Trindade, na Rua do Alecrim, em Lisboa...
Beijo

cristina ribeiro disse...

Mike, já reservei lugar para assistir, de camarote, a essa peça :)

Luísa, o Gerês no Outono...

Paulo, são tantos os poisos por essas bandas...

Beijos