terça-feira, 15 de abril de 2008

Uma questão pertinente.

Há uma pergunta que me faço muitas vezes: diziam que dantes interessava manter os portugueses na ignorância- e agora?
Essa pergunta vem-me à cabeça sempre que a "televisão pública" passa um programa de interesse geral, mas que, na prática, está interdito a muitos desses portugueses: por exemplo, de quando em quando o "Prós e Contras" tem esse interesse, mas, à hora a que é transmitido, só pode ser visto por alguns. Na zona onde vivo, e como esta haverá mais, certamente, são pouquíssimos os que o vêem, porque na manhã seguinte a maioria tem de se levantar muito cedo para começar a trabalhar às oito horas. O melhor remédio é entretê-la com uns programazinhos de refugo ...
É essa a razão principal pela qual estas pessoas só falam sobre futebol e novelas, e é aflitiva a percentagem de facadas que dão numa só frase à língua pátria: a imensa maioria não sabe sequer que a querem "reformar"...
Onde está o ópio, afinal?

4 comentários:

O Réprobo disse...

O ópio maior é o dos reality shows, já se sabe, Cristina. Mas claro que a oferta e a procura no campo cultural estão a matar uma para a outra. Pffff!
Beijo

cristina ribeiro disse...

E a procura é a que sabemos porque as pessoas foram habituadas a esses soporíferos. Circulo vicioso? A quem cabe desfazê-lo? Sei que seria motivo de protesto gigantesco, tão grande é a habituação...
Beijo

av disse...

Pois é, Cristina, os novos ópios são televisivos. Anestesias diárias para manter o povo letárgico qb, sem pensar muito. É triste, realmente. E quando a televisão passa programas úteis e interessantes, daqueles que "despertam" consciências e vontades, são poucos os que podem dar-se ao luxo de vê-los. O mais irónico é que, normalmente, esses são os que já estão "despertos", mas convém que o número não suba muito...
Um beijinho

cristina ribeiro disse...

E, assim, Ana, continuaremos a correr de encontro àquilo de que já estamos perto: uma outra forma de pobreza terceiro mundista.
Beijinho