domingo, 27 de abril de 2008

E já agora comecem a nacionalizar empresas e propriedades

Jerónimo de Sousa em entrevista ao DN:

Os campeões do liberalismo querem sempre menos Estado, deixar funcionar o mercado. Quando se trata de amassar fortuna a fortuna, com lucros fabulosos, designadamente no sector bancário, aí "alto, o Estado que não se meta". Agora, tendo em conta a especulação mobiliária, tendo em conta as bolhas que existem e as dificuldades, então "aqui d'el rei, venha lá o Estado salvar-nos".

Não sei que liberais é que o líder do PCP conhece ou tem ouvido falar, mas só a um tolo poderá parecer crível tal afirmação. A questão está que em Portugal o Estado anda sempre com os privados atrás, aí não há liberalismo nenhum. Não me recordo de ver algum liberal a clamar pela intervenção do Estado para nos salvar em tempo de crises financeiras ou económicas. Aliás, quanto ao que se passa actualmente nos mercados financeiros mundiais do que tenho lido de diversos liberais é o aviso quanto à injecção abrupta de milhares de milhões de dólares para garantir a liquidez dos mercados, que poderá causar o efeito precisamente contrário ao pretendido. Mas camarada Jerónimo ainda faz melhor:

Em relação à banca, achamos que cinquenta por cento desse sector deveria estar [nas mãos do Estado].

Pois claro, saudades dos tempos do PREC não é camarada?

2 comentários:

António de Almeida disse...

-Quando leio uma entrevista de Jerónimo de Sousa encaro-a como comédia, e da boa!!!

Mike disse...

E não é que os dinossauros ainda existem?