segunda-feira, 21 de abril de 2008

Pedaços do Minho


Santa Maria Madalena da Falperra- Guimarães

Situada no alto da serra da Falperra, na freguesia de Santa Cristina de Longos, rodeada de frondosos carvalhos e sobreiros, é a jóia da coroa de um dos lugares mais idílicos da região, muito procurado pelas gentes daqui, principalmente em tempos de calor, pois que aí vão encontrar a sombra que buscam.
A igreja do mesmo nome foi mandada edificar no século XVIII, pelo arcebispo de Braga, e antigo reitor da Universidade de Coimbra, D. Rodrigo de Moura Teles, e projectada pelo arquitecto bracarense André Soares, num estilo barroco rococó.
Foi, em tempos antigos, o valhacouto de salteadores, como o conhecido Zé do Telhado, que se cruzou com Camilo Castelo Branco na Cadeia da Relação do Porto, como este relata nas «Memórias do Cárcere», e com quem o bisavô de minha mãe privou muitas vezes, a caminho de Braga...

12 comentários:

a voz disse...

Conheço!

cristina ribeiro disse...

Diga lá, Mário, uma beleza!
Ainda hoje de manhã, quando fiz a fotografia, deleitei-me com os vários cambiantes de verde que rodeiam a igreja.
Beijo

O Réprobo disse...

Que pena, Querida Cristina, que "acolher-se à sombra da Igreja" ganhe, aí, foros de mera literalidade material...
Beijo

cristina ribeiro disse...

A sombra referida é mesmo a das árvores, pois que por cá na Igreja ainda se vai buscando a luminosidade, Paulo, e é ver a devoção que a Santa acolhe...
Beijo

Tiago Laranjeiro disse...

Um excelente exemplo do barroco minhoto, talvez o mais bonito existente no concelho de Guimarães (embora Braga a reclame sua).

Júlia Moura Lopes disse...

não fez um ano ainda que lá estive, Cristina e adorei.

Sobre o Zé do telhad: num livro de familia do meu ex-marido que ajudei na pesquisa,havia 2 histórias saborosas do Zé do Telhado. Uma delas, é uma história que faz jus ao lado bom dele. Salva a comitiva que seguia pela estrada e prestes a ser assaltada pela quadrilha dele, proibindo mesmo os seus homens de alguma vez tocarem em algo da familia, porque devia um favor à pessoa que pesquisei. :-)

beijinho

Mike disse...

Serra da Falperra traz-me boas memórias de tempos idos em que os protagonistas eram outros, menos eruditos, eu sei, e que escreviam a direito, com rapidez e mestria por curvas apertadas ;). Mauro Nesti, Andrés Vilariño, António Barros, Giovanni Rossi e Rui Lages... nunca se sabe o que origina o que escrevemos... neste caso foram boas memórias (menos eruditas, eu sei :)).

cristina ribeiro disse...

É linda, Tiago, e, embora da autoria do arquitecto bracarense, não há dúvida alguma que está no Concelho de Guimarães: assim o decidiu uma sentença judiciária, no ano de 1872, segundo a qual aquela parte da Falperra (até Santa Marta do Leão, mais acima) está dentro dos seus limites geográficos.

cristina ribeiro disse...

Engraçado, Júlia: esse meu trisavô tinha também boa imagem dele, apesar de salteador :)
Beijinho

cristina ribeiro disse...

Ah Mike! A "Rampa" :)

Lord of Erewhon disse...

Um belo monumento e um belo lugar, ambos mágicos, em redor o ar torna-se antigo e tudo ganha um peso solene.

Júlia Moura Lopes disse...

a Rampa da Faperra tamb�m foi famosa,sim! Quantos amigos tive que participaram nela!