sexta-feira, 14 de março de 2008

Revolta calada (2)

Para perceber o que vou aqui escrever aconselho primeiro a ler isto.

Pois é, a sentença foi decretada, uma pesada multa e uma indemnização que no conjunto totalizam qualquer coisa como 2000 euros. Julgam estes juízinhos e advogadozecos de meia tigela em conluio com a outra parte que se estão a meter com uns quaisquer lá da terrinha que não se sabem defender. Acontece que vou fundamentar uma exposição com base em erros processuais que já verifiquei no Código de Processo Penal, a seguir já na próxima semana para a Provedoria de Justiça, com cópia anexa a uma outra exposição para a Procuradoria-geral da República a denunciar as ameaças da delegada do Ministério Público.

E agora aqui vai uma verdadeira anedota que mais parece saída de um qualquer pedaço de ficção orwelliana ou kafkiana. A juíza e/ou o Ministério Público decidiram levantar um processo contra a minha pessoa, por arrogância enquanto testemunha. Reconheço que a minha personalidade tem de facto uns traços arrogantes, algo de que fui já acusado por diversas vezes. Só não sabia que o Ministério Público gosta de gastar dinheiro dos contribuintes e entupir os tribunais com processos por alguém ser arrogante. Mas está escrito em alguma lei que a arrogância é passível de gerar processos judiciais? E onde é que se vão consubstanciar os efeitos jurídicos de tal processo? Ainda por cima quando as minhas afirmações foram mal interpretadas, tal como demonstrei no post acima referido. Realmente este estadão só pode estar mesmo doido.

Fico a aguardar, quando souber mais notícias por aqui as deixo, se não for preso por arrogância entretanto.

5 comentários:

Paulo Soska Oliveira disse...

É nestas alturas que dava jeito conhecer um advogado do sistema.

Um abraço solidário.

Nuno Castelo-Branco disse...

Qual! Dava era jeito tornar-se parte DO sistema... ehehehehe

CMF disse...

Isso só pode ser uma anedota!!

Anônimo disse...

Só uma questão. Gosto deste blog que é tão moderno. A única coisa que não entendo é fazerem links para gente que não interessa a ninguém, tipo Fascismo em Rede. parece uma contradição. Qual é a ideia?
João Peneda

Samuel de Paiva Pires disse...

Pois vamos ver se será mesmo uma anedota ou não, ou se ainda terão tanta vontade de levantar um processo de tal índole quando a Procuradoria e a Provedoria se puserem a analisar o processo (se alguma vez o analisarem, até porque o mais provável é arrastar-se).

Caro João, o link está inserido num script (Referrer.org) que mostra sites que linkam para o blog, não sendo controlável por nós, daí que aqueles links são resultado de pesquisas que o motor do script faz por ele! Muito obrigado pelas suas palavras e esteja à vontade para fazer parte desta casa!