sexta-feira, 14 de março de 2008

A constância do constantemente


Ontem, foi a vez do Greenspan português ser entrevistado num programa de economia da SIC (?). Após uma longa narrativa acerca das desgraças, apertos e contingências nacionais - da qual não é certamente minimamente responsável- teve que responder à questão derradeira. O entrevistador, confrontou o Dr. Constâncio com o simples facto de o seu salário como Governador do Banco de Portugal, ser bastante superior ao do seu homólogo da Reserva Federal norte-americana. Sem pestanejar, o dr. Vítor escusou-se, afirmando que ..."não fui eu a decidir o montante"... e que está ..."disposto a rever em baixa"... o pecúlio.

Estando desde há muito anestesiados por este tipo de jogo do empurra-culpas, esta pequena contrariedade a que o dr. Vítor teve que oferecer as habituais desculpas, ficará dentro de minutos esquecida. É que esta "república" portuguesa, possui de facto uma nobreza muito cara, que a troco do desempenho de cargos a Bem da Nação, é sempre riquíssimamente paga e sempre de forma ignota para a esmagadora maioria dos cidadãos contribuintes. Quantos drs. Vítores andarão por aí? Mesquinhez da opinião pública? Não. Estupor pelo desprezo a que os Donos de Portugal votam o chamado Zé Povinho.

Como compreendo agora, aquele tecto do Paço da Vila de Sintra! O Por Bem da Sala das Pêgas, tornou-se no lema nacional. Enfim, é a famosa Ética Republicana no seu melhor.

3 comentários:

cristina ribeiro disse...

É como diz: arranja-se já um qualquer entretenimento("com papas e bolos se enganam os tolos") e tudo volta `à paz dos anjos...

Anônimo disse...

Ahahahahahaha, essa do Por Bem foi boa!

Samuel de Paiva Pires disse...

Essa do Por Bem com uma certa entoação deve fazer comichão a muita gente...