sexta-feira, 28 de março de 2008

Para o idiota anónimo que me enviou um e-mail a chamar-me retornado de m...

8 comentários:

Mike disse...

Nem se devia ter dado ao trabalho... só pode ter sido um idiota, mesmo.

José M. Barbosa disse...

A esse pedaço de asno, que não tem gabarito para ser asno inteiro :
"I thought we were family. I thought we were friends. I'll make you an offer that you can't refuse. Show me some respect!"
Pedaços de asno anónimos que não entendem isto, são "feitos" aqui na Praia da Granja, à ceia. É quando dá mais jeito por-lhes os pézinhos em cimento. A seguir, banhinho.

J.M. Barbosa.

Nuno Castelo-Branco disse...

Pois,:) já vi que fiz grossa asneira em ter caído na armadilha da resposta a quente. Mas... andamos nisto há semanas e perdi a paciência. Não eito este post cretino, devido às vossas amáveis palavras. Já há muitos anos não deparava com "esse estado de espírito" do fora retornados. E nem sequer o sou, porque nascemos todos lá: pais, avó e bisavó.

Nuno Castelo-Branco disse...

onde escrevi à pressa eito, queria dizer retiro

cristina ribeiro disse...

Pois, Nuno : os cães ladram porque vêem a caravana a passar e nada podem fazer contra ...

António de Almeida disse...

-Nuno, permita-me um conselho, não responda a imbecis provocações anónimas. Nem calcula a quantidade de mails, alguns até com virus em ficheiros anexos, que já recebi por parte de idiotas. Um bom debate é de aceitar, já debati com extremistas de esquerda, com correção, e identificados, a anónimos nem me dou ao trabalho de responder, sequer nos comentários. Insultos a mim, ou a qualquer pessoa que comente nos meus espaços, apago-os. Acabam por desistir. Cumprimentos!

CMF disse...

Nuno, quer se queira quer nao, é essa a mentalidade prevalecente em Portugal, sempre foi. Aos mensageiros de um Portugal diferente foi-lhes cortada a cabeça. (Diga-me o nome de algum português com "vida" em África que tenha atingido um alto posto do regime; eu nao me lembro de algum.)
Por isso prefiro saltar desse barco onde me obrigaram a embarcar, há muito anos. Que se afundem sozinhos.

Vinicius Cabral disse...

Nuno, seu texto sobre a China já está devidamente publicado no Espaço Histórico!

Obrigado!