quinta-feira, 20 de março de 2008

Como responder a uma provocação de um brasileiro com um toque de ironia e requinte

Muitas foram as discussões que tive com brasileiros durante a minha estada em Brasília. Pelo Notas Verbais ficámos a conhecer um episódio com o Embaixador Seixas da Costa, em que alguém se valeu do cliché de que o Brasil seria um país melhor se tivesse sido colonizado por holandeses:

Olha que coisa mais linda…/ No Rio de Janeiro para participar da organização das solenidades que marcam os 200 anos da chegada da família real ao Brasil, o embaixador de Portugal, Francisco Seixas Costa (foto), foi abordado por um estudante que lhe fez uma provocação, dizendo que o Brasil seria melhor se tivesse outros colonizadores, como os holandeses. Seixas da Costa não perdeu a fleuma. Depois de sugerir ao jovem que estudasse mais a história do continente, saiu-se com esta: "Queria ver você cantar Garota de Ipanema em holandês!"

4 comentários:

Bic Laranja disse...

Que tremenda ferroada. Melhor só se fosse: "Queria vê-lo cantar a Garota de Ipanema em holandês". O que calhando até foi como o sr. embaixador disse. Sem sotaque. Cumpts.

Nuno Castelo-Branco disse...

Pois, gostava era de saber se os brasileiros existiriam hoje como povo. Os holandeses, embora apareçam agora recauchutados como epítome do liberalismo, não deixaram grandes marcas nas suas ex-colónias. Senão, vejamos:
Quantos indonésios falam holandês? Quase zero!
A África do Sul: sabemos sobejamente as iniquidades cometidas pelos herdeiros dos batavos, que por sinal, tiveram a sorte de ter pela frente um Mandela e não um Samora qualquer.
Bem, resta o Suriname que não é exemplo para ninguém, muito menos para o Brasil.
Com uma população maioritariamente mestiça - no século XVII os holandeses invocavam a necessidade de combater Portugal , visto sermos uns debochados que nos misturávamos com "animais" -, o Brasil não existia como o conhecemos. Nm sequer na sua dimensão territorial. Foi d facto, a grande obra lusitana. Doa a quem doer.

cristina ribeiro disse...

Esteve bem o Embaixador. E teve razão em dizer-lhe para estudar mais- se soubesse deste comentário do Nuno, por certo que o aconselharia a lê-lo...

Samuel de Paiva Pires disse...

Recordo-me ainda de uma piada que um ilustre jornalista português me contou em Brasília, que se terá passado com o filho dele. Uns amigos começaram a "picá-lo" dizendo "o Brasil é um país de inventores, inventámos o samba, inventámos a bossa nova, etc etc, e vocês portugueses inventaram o quê?" ao que ele respondeu: "Nós inventámos o Brasil". Touché Nuno!