quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

À beira da declaração de falência da CML

O vereador pelo PSD, Fernando Negrão, veio dizer que "O PSD disse, desde o início, que o pedido de saneamento financeiro, nos termos em que foi formulado pelo doutor António Costa, era contrário à lei elaborada pelo mesmo doutor António Costa enquanto ministro da Administração Interna".

Vá lá, pelo menos desta o PSD parece não ter perdido a oportunidade para fazer alguma oposição.

Por seu lado, António Costa decidiu ainda convocar uma reunião extraordinária da Câmara Municipal de Lisboa para quinta-feira, às 15:00, para analisar a situação.

Em declarações à RTP, o autarca referiu que a Câmara tem uma dívida de curto prazo de 300 milhões de euros que é preciso saldar.

Em resposta à pergunta do jornalista, o autarca referiu ainda que não tenciona demitir-se do cargo.


Vamos esperar para ver o que sai daqui. Pelo andar da carruagem não vão haver dívidas saldadas para ninguém. Atalhem já caminho e declarem a falência. E já agora como as privatizações de empresas públicas estão na moda, podiam abrir um precedente e privatizar também a CML, talvez assim funcione. Difícil será encontrar accionistas.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

O António Costa devia consultar o programa do defunto prp e retirar ensinamentos de "ética republicana" em que os seus precursores eram tão prolixos. Diziam que saneando a Câmara de Lisboa, mostrariam ao país o que seria a república. Já mostraram. Estamos esclarecidos.

Cristina Ribeiro disse...

Será que vão tentar descalçar a bota, ou, como já se tornou costume em Portugal, vão sacudir a água do capote, assobiar para o lado, e fugir para o mais longe possível, para que o céu não lhes caia em cima?